maminhas gostosas...






excessos no banho...








enganos






e desenganos








e muita dentuça...






it's....



10 comentários:

Anónimo disse...

por favor nao me mordam no pescoço.
aquela do espelho revelador, é inesquecível.
morggie

musaranho coxo disse...

e acertou!

devia levar um alhinho de prenda, menina morggie. Mas parece que o poeta-hortelão os açambarcou todos...

isto hoje tem sido um festival de alhadas.karamba!

Flávio disse...

Sou fã do Polanski e adorei o filme, que já vi há muitos anos. Só é pena a tradução portuguesa perfeitamente idiota do título, mas tudo bem.

Lembro-me do espantoso final quando o protagonista é filmado de costas, pouco antes de ser mordido. É um plano assustador e polanskiano por excelência: sempre que uma das suas personagens é filmada de costas, sabemos que algo de horrível lhe está prestes a acontecer.

Flávio disse...

PUB

Já agora, aproveito para divulgar um post que publiquei há meses no meu blogue, sobre o fabuloso O Inquilino, do mesmo Polanski, e o tema da duplicidade:

www.a-bomba.blogspot.com

Um post tão jeitoso e douto e só teve 5 comments. Não há direito.

zazie disse...

Também tenho boas memórias deste filme e é sempre uma forma de recordar a Sharon Tate. Quanto à tradução acho-a deliciosa! Até tem mais piada que o original.
É raro isso acontecer mas lembro-me de uma outra adaptação genial- foi a daquela pimpineira do Jonathan Livingstone Seagull que por cá alguém teve a brilhante ideia de chamar Fernão Capelo Gaivota

(tão jeitosinhas, né? aahahhaha)

zazie disse...

nunca voltei a ver o Inquilino mas acho que o tenho inteirinho na memória

Flávio disse...

O Inquilino deve ser visto e revisto muitas vezes. Já o vi para aí uma dúzia de vezes e nunca me farta. Que filme espantoso! Nunca vi nenhum filme tão complexo e carregado de simbologia e segundos sentidos (já para não falar da fabulosa música do Sarde). Então para os psicanalistas, é um autêntico tesouro.

zazie disse...

pois é. Ainda me lembro daquela brincadeira do homem sem uma perna, sem as duas, sem os braços, que é um homem sem perna, sem braços, por aí fora até chegar à cabeça

Rita disse...

este filme tem também um promenor de coleccionador, que é a dupla versão do genérico! a que foi supostamente mais divulgada é a que crescem os dentes vampirescos do leão da MGM a pingar sangue para as letras, mas há uma outra (que segundo a folha da cinemateca é muito rara, no entanto deram-na na RTP nos anos 80 pois ainda tenho o VHS!) que tem uma animação fabulosa de uns 3 minutos... hei-de passar para dvd e posso emprestar à zazie para ver a loucura do polanski em desenhos animados..

zazie disse...

e eu não conheço essa nem nunca a apanhei

bjs