ou como Rabelais faz bem à saúde

À boire ! À boire !

“Ao ver as aflições que vos consomem, antes risos que prantos escrever, sendo certo que rir é próprio do homem”


Este é o corpo rabelaisiano que não se dissolve no espaço etéreo das causas e das bandeiras, nem permite que o observem do alto. Suficientemente próximo e bem terreno, ainda é feito de matéria que não esqueceu os instintos.



(E é provável que seja por este motivo que nunca consegui ser demasiado idealista nem muito católica)

6 comentários:

timshel disse...

Os dualismos são característicos de seres que não conseguiram conciliar os instintos com o espaço etéreo (e glorioso) das causas e bandeiras.

lol

zazie disse...

looooooooollll e iupi! e mais uma garrafa de rum ":O))))

timshel disse...

rum?!

uma garrafa de rum?!!

é esse o teu mal rapariga: o combustível é fraco e de má qualidade

Iou-ou-ou... e um garrafão de vinho!

loooooooool

Anónimo disse...

Qual rhum qual quê !
Aquilo é mas é Poncha para o Alberto João!
Quintas

Lutz disse...

Dialéctica, meus caros, dialéctica! Só com dialéctica não é preciso fazer diéta, nem carnal, nem espiritual, nem intelectual.
Prost!

zazie disse...

ou-ou-ou-ou! então aqui vai um bombay sapphire com muita dialéctica e uma pedrinha de gelo ":O)))