Fala-se agora muito em Timor e na crise da sua “democracia” e fica a pergunta: mas quando é que houve eleições legislativas em Timor?

(Não vou retomar agora um assunto que não me surpreende. Tudo o que tinha a dizer já o fiz há tempos, aquando da famigerada “intervenção da Igreja”. Basta consultar as caixinhas de comentários de inícios de Maio do ano passado, no Barnabé ou no Blasfémias)

A esta pergunta é que nunca me responderam.

16 comentários:

sabine disse...

Houve eleiçoes legislativas em 2001 e voltará a haver em 2007
http://dossiers.publico.pt/dossier.asp?idCanal=539

zazie disse...

Errado. Informem-se. Já o Rui Tavares que é Historiador insistia em afirmar o mesmo disparate.

As únicas eleições que existiram em Timor foram para a Assembleia Constituinte.

Tudo o resto também já o tinha dito há um ano. Basta ir ao arquivo do Barnabé.

A título de curiosidade diga-se, o Barnabé é um blogue morto mas as notícias vão sendo actualizadas. Esta questão de Timor está lá, com links para o Público.

Pena que não tenham também feito para o velho debate de Maio passado. E para o apoio bacoco do BE à Fretilin no final da "Convenção" passada.

sabine disse...

As informaçoes que tenho sao, nao com base no Barnabe mas em noticias recentes (antes de começar esta crise, claro). Se ja deviam ter feito novas eleiçoes? Sim. Mas nao deixa de ser uma democracia por isso. Se podera deixar de ser uma democracia no final desta crise? Sem duvida essa hipotese nao é nada mal pensada.

zazie disse...

Sabine:

informa-te do que são eleições para a Assembleia Constituinte e em que consistem Eleições Legislativas.

Depois falamos. Os prazos estão certos. As eleições legislativas é que nunca existiram.


De caminho informa-te também como é que o poder pode ser eleito por Assembleia que trata apenas de formar a Constituição.

Depois falamos.

De 4 em 4 anos há para gorverno. De 6 em 6 para presidência. O que devia ter havido não houve pelo facto de nunca ter sido feito.

maloud disse...

Zazie
Parece-me que o "pecado original" foi a saída prematura das forças da ONU e já agora das portuguesas. Aquilo ainda não tem condições, para se governar sem ajuda. Construir um país custa tempo e muito dinheiro.

Mário disse...

As primeiras eleições pós-25 de Abril em Portugal foram para a Assembleia Constituinte (encarregada de regigir e aprovar a Constituição da Republica Portuguesa), só depois é que se fizeram eleições legislativas e presidênciais.

Sim, construir um estado custa dinheiro em barda, resta saber quem está disposto a pagar a factura (com a margem de lucro).

zazie disse...

Maloud:

o principal motivo tem outro nome: CORRUPÇÃO.


Mário:

Os tipos da ONU acharam que ficava muito caro e foram-se embora sem organizarem as eleições para o governo. Nunca houve legislativas. Este governo não foi eleito. O Alkatillil foi lá metido pelos que ganharam para a Constituinte.Não foi escolhido pelo povo.

E nunca gostaram dele. O que é natural pois esteve emigrado em Angola todo o tempo. Não fez parte da Resistência lá. E é falso quando os jornais insistem no disparate de dizeer que é por ele ser muçulmano porque ele naõ o é. É do Iemene, o que naõ o torna automaticamente muçulmano. Foi aliás ele que correu com os muçulmanos que por lá tinham as suas mesquitas e que se davam em harmonia com os cristãos e com os animistas.

O resto já o tinha dito há mais de um ano. Podem ir ao Barnabé. A venda do País à Austrália no negócio mal-feito do petróleo para aguentar a segurança- que pelos vistos não aguentou. O resto vai para contra privada e o povo não lucra com nada e vive na miséria.

A corrupção dessa clique não eleita no poder é o problema principal. E há um ano aquela treta da Igreja que levou os idiotas do BE a apioarem a Freltilin em Convenção foi outra coisa...

A tal coisa que agora é visível.
Na verdade o grande mal é que Timor é produto das complicações da História. Há muitos povos que ficam assim- na encruzilhada entre o repúdio por pertencerem ao que geograficamente deveriam pertencer.
Depois os fundadores da Reistência morreram praticamente todos. Chegaram à idndependência com um símbolo um tanto "mole" o Xanana e com uma catráfila de corruptos e oportunistas atrás. A quererm aproveitar uma coisa que vale muito: os lucros do petróleo. Timor é um país microscópio mas com mais recursos naturais que nós.

Mário disse...

Pois Zazie, e estou a ver que o resultado não vai ser famoso......

Joana disse...

E zazie, as vezes da a impressao que alguns sectores defendem a teoria de que so os ocidentais e que sao capazes de ser corruptos e que o resto do mundo esta povoado de bons selvajens...

Anónimo disse...

Excelente post Zazie.
Beijoca.

Rui Carmo

zazie disse...

olha a Joana! beijinhos

Viva sô Rui Carmo, so long...

beijoca

Anónimo disse...

Essa pergunta não é tua. Mesmo na blogosfera, já tem barbas. E olha que a Constituição de Timor já previa a situação; nada de estranho portanto.

zazie disse...

Está visto que não sou eu que invento factos, ora! ele há cada “crítico” mais inteligente... agora que a fiz por mim, fiz. E viu-se a quantidade de gente que não sabia. Mais, há um ano quando a fiz ao Rui Tavares ele negou! Na verdade não houve ateu militante que não me tenha insultado por eu ter dito que era isto que estava para acontecer. Por isso, se está interessado em chamar mentiroso a alguém tem muita gente por onde começar. Neste caso eu seria a última.

Mas já que dá a entender que houve mais bloggers que fizeram a pergunta e que até parece que eu a copiei, faça-me o favor de botar aí os links que eu cá nunca os vi.

Quanto a prever que previu foram as Nações Unidas que acharam que não iam gastar dinheiro com mais eleições.

os resultados fizeram-se ver mal o Mari tomou posso. Ou será que também o lê como "fogo de artifício" por regozijo?


Já agora: até os animais domésticos têm nome: para a próxima invente um que eu não tenho grande pachorra para falar com "Anonymous". Pode ser o "zé dos anzois" ou o "melro do quinto esquerdo" que aí trato-o com todo o respeito que merecia se aparecesse como o Presidente.

Anónimo disse...

Zazie em grande forma. :) :) :)

E sim. Esta é a primeira "polémica" desde há muito tempo...
RC

Zé Anónimo da Silva disse...

Burrice, pesporrência e aldrabice. Sim a Zazie está mesmo "em forma"...
Pergunta ela: "como é que o poder pode ser eleito por Assembleia que trata apenas de formar a Constituição". Resposta, fácil, tendo essa assembleia logo à partida sido fadada pela ONU a transformar-se em Assembleia Legislativa: http://www.canb.auug.org.au/~wildwood/01julconstituentp.htm
Depois, é falso, mentira, que o Rui Tavares tenha insistido em que tinham decorrido eleições específicas para a Assembleia Legislativa. Ele tratou sim de dar uma coça monumental à Zazie: http://barnabe.weblog.com.pt/arquivo/103576.html

zazie disse...

então não foi...Então não conheço quem lá esteve e acompanhou no terreno as eleições. E que a ONU se foi embora e não promoveu as legislativas e que o resto foi precisamente para dar cobertura a não gastarem mais com a história.

Quanto ao Rui Tavares deu cá uma sova. Nota-se. Vai-se ao Barnabé ler o que ele dizia há um ano e só se vê a paranóia com a Igreja Católica. Foi ele e foram todos os ateus militantes. Ainda andava o rui em coeiros já eu estava a par destas coisas por contacto directo.
E mais não tenho de dar satisfações e muito menos de comprometer fontes.

Vocês, que sabem tudo e aproveitam todas as tretas para vender a vossa banha-da-cobra que vão agora para lá convencer o povo de Timor que está a cometer um enorme erro histórico.

Digam-lhes vocês que o Mari é um tipo bacano que não mete ao bolso e que foram eles que o elegeram- E que o negócio do petróleo não tem sido para augentar o poder e mais as forças militares. Digam-lhes que eles vão gostar muito das vossas teorias.

É mesmo o que os timorenses mais precisam. De teóricos de aviário do BE a doutriná-los.

O Rui Tavares nem tinha obrigação de o saber. É claro. Essa treta de ser historiador não obriga a saber tudo. Quanto muito devia ter mais modéstia quando fala com outras pessoas. Agora ele e outros tantos o mais que têm é de engolir os sapos. Politicamente só considero responsáveis os dirigentes do BE e aquele apoio à Fretilin, perfeitamente bacoco no final da Convenção. De resto todos os políticos portugueses são responsáveis pelo que não fizeram no passado. Enviar agora gnrs é remendo que ainda pode ser pior que não fazerem nada. O erro vem de trás.

A única coisa que me estava a encanitar era e é a desinformação à volta de tudo isto. Ninguém conta as coisas como elas são. Sabe-se mais na Austrália que cá. Por estranho que pareça, mesmo os bloggers tugas que por lá estão não dizem nada nem sabem nada. Já tinha constatado isso há um ano atrás.

Quanto a posts e interesses no que se escreve é melhor irem ao Diário dos Ateus, para além do Barnabé e lerem o que escreveram na altura.

Do Carlos Esperança nem se fala. Esse boateiro chegou a pegar em tretas gratuitas de caixas de comentários para dizer que a igreja estava a reinvindicar não sei quantos mil dólares pelo negócio com a Austrália.

isto é que é boato gratuito por se ter um único fito- um combate doutrinário.

No meu caso bem podem esperar sentados quem pense que tenho algum motivo ideológico ou que apoio A ou B.
Não tenho nenhum a não ser o facto da história de Timor me ser próxima, de ter conhecido muita gente que morreu por ela e de não ter grande gosto em calar corrupções.

Apenas isto.