El Mono de la Tinta

«Este animal abunda en las regiones del norte y tiene quatro o cinco pulgadas de largo; está dotado de un institno curioso; los ojos son como cornalinas, y el pelo es negro azabache, sedoso y flexible, suave como una almohada. Es muy aficionado a la tinta da china, y quando las personas escriben, se sienta con una mano sobre la otra y las piernas cruzadas esperando que hayan concluído y se bebe el sobrante de la tinta. Después vuelve a sentarse en cuclillas, y se queda tranquilo»

Wang Ta Hai (1791)
Seg. Jorge Luis Borges, El libro de los seres imaginários

Francisco Toledo,El mono de la tinta, aguarela sobre papel(24 x 34 cm, 1983

6 comentários:

Antónimo disse...

Grande caçada: encontrou o bicho ele mesmo - o Mono da Tinta (ai, que me puxava qualquer coisa para um personagem... deixa-te disso, Antónimo... um desses monos da tinta... da imprensa... em suma, um mono). A Zazie encontrou o verdadeiro mono: na China - ora, se a tinta é de lá, estava-se a ver. Qual imaginário, qual carapuça!

Parabéns.

zazie disse...

ehehe os chinocas sempre foram muito dados a macacadas

beijocas

Uther disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Uther disse...

(enganei-me!)


:)
olá zazie e musaranho coxo! :)

Só foi pena as fontes não dizerem nada sobre a fêmea do Mono da Tinta -- até na monice há discriminação! -- que é bem mais inteligente. Tem a fama de ser galdéria, e gosta de enfrascar tinto da garrafa sempre que tem oportunidade, e é por isso conhecida por Mona do Tinto ou do tintol .

Mas a sua manha também está no facto de ser simultaneamente um membro activo da Sociedade Anti-Alcoólica dos Monos, e de ter um caso com o presidente, que é o Mono do "Porto Vintage". Ah pois! :)


desejo as melhoras da zazie. volta depressa zazie!

zazie disse...

ehehe
obrigada por desejares as melhoras. Vou ver se hoje ainda posto os homens cabeça de cavalo

beijocas

zazie disse...

é verdade, deixei-te uma pergunta nas formigas